top of page
AD.png

O Mapa - Conto 1 - Parte 4




O corredor em direção a pequena biblioteca dos alunos era preenchido com quadros dos antigo mestres da Ordem da Luz, todos imaculados e vestidos em seus hábitos marrons decorados com runas azuis. Sentia os olhos deles me vigiando de alguma forma.

- Estão todos para além da existência Flumen. O que tens chama-se consciência pesada. - Columba ainda tinha nos lábios aquele sorriso debochado que me tirava do sério.

- Anseio pelo momento em que não terei mais de lidar mais com esse seu dom de leitura.

Terminamos de subir a pequena escada de acesso e chegamos na biblioteca. Era uma sala pequena, comparada com as outras do convento. Não havia janelas e era iluminada e ventilada apenas pelas claraboias. As quatro paredes cobertas com estantes de livros até o teto. No centro da sala ficavam duas mesas grandes de madeira e Puella estava sentada em uma delas anotando algo em um livro antigo.

- Cuidado para não arrancar as páginas com a pena, esse livro não parece que vai aguentar por muito tempo. - Ele tirou a piada de mim e falou como se fosse sua.

- Hum, não se preocupe, tenho prática. O que está fazendo aqui? Achei que Gaudium estaria te mostrando o convento.

- Ele se despediu de mim dizendo que queria ficar um pouco sozinho mas vejo que está bem acompanhado. - A voz de Gaudium parecia estar vindo de todos os cantos da sala e ele estava vestindo um hábito preto com uma capa do ombro a cintura.

- Era por isso então que não consegui ler sua alma. Você é um sacerdote do escuro.

- Desculpe mas ele é o quê? E você consegue ler a alma? O quê está acontecendo aqui?

Puella estava no mesmo nível de incredulidade que eu se não mais. Conseguia sentir como o espírito de Gaudium estava expandido e cobria toda a biblioteca, seu escudo evitando que qualquer um visse ou ouvisse o que estava acontecendo aqui dentro. A tensão crescia entre nós e poucos segundos de silêncio pareceram uma eternidade. Foi o próprio Gaudium que resolveu explicar o motivo pelo qual seu espírito nos cercava.

- O meu nome na verdade é Caliptus. Sou um sacerdote da Ordem a centenas de ciclos e o conhecimento do mapa que nós três estamos procurando foi recolhido pelo sacrifício de minha própria irmã sacerdotisa. Sei que deveria estar aqui no mesmo ciclo que vocês Aer, Columba e Puella por que uma pessoa próxima a mim no longínquo plano de Terriare tinha o dom espiritual de prever acontecimentos importantes em minha existência e o esforço de enviar esse conhecimento através dos planos aqui para IN LUX foi também o fim de sua existência. Eu sou o único sacerdote restante de uma antiga missão cujo objetivo é o mesmo: obter o conhecimento do mapa das vias e planares e expô-lo para que todos em todos os planos conheçam a verdade.

Estávamos os três olhando para Gaudium, ou seja, Caliptus com a aboca aberta e ninguém sabia exatamente o que dizer...


- Mas Gaudium...você veio comigo da Vila da Mente. Nós fomos os únicos com dons mentais fortes o suficiente para sermos notados pela Ordem... - E enquanto ela falava consegui perceber o quanto Caliptus estava mais infiltrado dentro dessa história do que eu e pelo olhar de Puella ela compreendeu o mesmo. - Era sua missão desde o início estar aqui sem ser observado não é mesmo?

- Isso também, mas mais do que isso você era a única disponível. Aer estava com os clãs de liberdade e a localização deles sempre muda. Columba é um agente da Lei dos 7 e estaria arriscando um conflito com outro instituição poderosa caso fosse descoberto. Pelo o menos aqui estou em casa e exatamente onde preciso estar para conseguir o mapa.

E na explicação de suas intenções ele havia desmascarado nós dois para Puella. A única ali que realmente não tinha segundas intenções em suas ações.


- Bom, todas as cartas na mesa não é mesmo? Alguém mais? - Ela parecia estar pronta para atacar quem falasse primeiro.


- Na verdade, Aer e eu viemos aqui para saber onde podemos encontrar mestra Fábula. Se eu conseguir lê-la enquanto conversamos sobre a lenda do mapa posso extrair o que ela sabe do assunto. - Columba falava e se afastava um pouco dela, seja o que for que ele estava lendo nela com certeza envolvia violência.


- E o que fazem vocês pensarem que eu os ajudaria de alguma maneira?! - Puella estava gritando agora. - E você Gaudium ou Caliptus, que seja! Se é mesmo um sacerdote da Ordem por quê está em uma missão em retirar um conhecimento dela e expô-lo para todos?

- Não é tão simples assim Puella. Tudo o que eu quero é ajudar a Ordem da Luz a retornar para o que ela se propôs quando foi criada: levar a luz da verdade e ordem a todos. Era o quê minhas irmãs acreditavam, é o que eu acredito. A atual Ordem está corrupta e invadida de agentes do caos.- Dito isso Caliptus olhou para a escada de entrada da blioteca e tudo que seguiu aconteceu tão rápido que a continuidade dos eventos se perdeu em minha percepção.


Mestre Caelestis e Mestra Fábula sugiram da escada de entrada. Um líquido viscoso e preto começou a jorrar de cada livro na biblioteca. Com um único movimento fluído, rapido e preciso Caliptus nos protegeu do líquido com seu escudo e fez surgir um fio de luz que ligou sua mente com a de Columba. Senti quando meu corpo foi arremessado para cima através da claraboia e vi Puella ao meu lado desacordada. Por consequência do movimento de subida esperei começar a cair, mas ao invés disso a subida foi acelerando. Senti uma mão agarrar a minha e vi Columba segurando a mão de Puella também e então tudo se tornou um borrão.


Acordei com duas vozes gritando em discussão. Estava deitado com as costas no chão encarando as copas das árvores de uma floresta. Me sentei...


- Aí está! Ele acordou! "Cuidado Aer vai se sentir tonto se levantar muito rápido." - O aviso dele ecoou em minha mente.


Algo estava diferente. Conseguia sentir no centro do meu espírito. A realidade tinha perdido as cores. As árvores brancas ao meus redor. Columba e Puella estavam com vestes preta e cinza respectivamente. Memórias centenárias do convento em IN LUX, da floresta e da Torre da Luz invadiram minha mente e um certo tipo de êxtase tomou conta de mim. Me lembrava de planos que nunca havia visitado antes. Batalhas etéreas em IN LUX. A tão famosa guerra contra a escuridão em Terriare. O rosto de uma mulher refletido nas águas. Olhei para mim mesmo e vi que meu hábito havia se transformado no mais profundo tom de azul.


- Sei o que precisamos fazer para obtê-lo. Sei o que ele é na verdade. Sei onde está o mapa!



 

Segredos são revelados e mais perguntas surgem. Conexões são feitas e outras desvendadas. E como sempre vou deixar aqui embaixo algumas vias de acessos em forma de botões para que viaje através de outros planos e faça suas próprias conexões. Na esperança que se divirta em cada território de "Os Planos". ^^






0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


bottom of page