top of page

Prithvi

Sem penas ou cocar, vestida de verde e suas nuances, pés no chão.


Me fantasiei de "presente" que a terra dá, num acolhimento da mãe terra sagrada, matriz indígena no intuito de valorizar a natureza, a água e o alimento. De onde vim e para onde vou.


Minha fantasia é o verde das matas, o vermelho da terra, nuances de marrom, amarelo e preto, azul e vermelho das penas das araras, tudo que vem do ar, sem matar, sem destruir.


Fantasiada de mulher, mãe, guardiã, curandeira que tira da floresta medicamentos com a ajuda da ancestralidade.


Vestida de pó, de terra, de ervas que curam as doenças da espiritualidade e não das enfermidades do povo branco tão longe de suas matrizes ancestrais.


Da terra eu vim, à terra protegerei, na terra me curei e para terra voltarei.

Eu sou da mata, das águas e no fogo forjarei.


Observe sua natureza, aprenda com ela, silencia.


Tudo está à sua volta, ainda mais se for luz.




 

Olá leitor

Espero que esteja gostando dos textos autorais publicados por mim.

Todo santo dia tem um texto novo!

Serão 365 dias de leitura.

Compartilhe com quem sentir que possa se interessar e gostar.

Segue e deixe suas contribuições...

Até amanhã!

GRATIDÃO


Recent Posts

See All
bottom of page