top of page

Pequeno Poema, Meu Pequeno Eu

No quintal de terra,

Toda tarde a brincadeira encera.

No banho de calde, com caneca

A mãe sempre atenta, grita:

“Esfrega bem essa canela!””

 

Criança chora, briga, brinca, grita

Essa mistura de alegria,

Tudo junto vira melodia.

Se torna companhia, magia, harmonia

 

Você cresce

Entristece,

Enrubesce,

Floresce,

Esquece,

 

A noite, namora no pátio da escola.

Aii. Se o pai descobre.

Com nó na garganta, se desenrola

 

Mulher, se torna.

Sem sorte no amor,

No encanto das maternidades

Vira uma abelha-flor

 

Os filhos crescem, ganham asas.

Dos galhos nascem outras.

E o meu pequeno “EU”

Permanece inquieta

Na esperança de se encontrar com

O seu “EU”

 

Desafio #23

Stela Alves

 

 

 

 

 

 

 

 

 

10 views2 comments

Recent Posts

See All
bottom of page