top of page
AD.png

Pequeno Poema, Meu Pequeno Eu

No quintal de terra,

Toda tarde a brincadeira encera.

No banho de calde, com caneca

A mãe sempre atenta, grita:

“Esfrega bem essa canela!””

 

Criança chora, briga, brinca, grita

Essa mistura de alegria,

Tudo junto vira melodia.

Se torna companhia, magia, harmonia

 

Você cresce

Entristece,

Enrubesce,

Floresce,

Esquece,

 

A noite, namora no pátio da escola.

Aii. Se o pai descobre.

Com nó na garganta, se desenrola

 

Mulher, se torna.

Sem sorte no amor,

No encanto das maternidades

Vira uma abelha-flor

 

Os filhos crescem, ganham asas.

Dos galhos nascem outras.

E o meu pequeno “EU”

Permanece inquieta

Na esperança de se encontrar com

O seu “EU”

 

Desafio #23

Stela Alves

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2 comentários

Posts Relacionados

Ver tudo

2 Comments


Bob Wilson
Bob Wilson
Feb 05

Lindo Stela. Já falei e repito: Gosto como você fala sobre o tempo e sua passagem. E neste texto em específico, adorei a brincadeira com as palavras e rimas. Queremos mais textoooos!



Like
Stela Alves
Stela Alves
Feb 08
Replying to

grata. Diz destacar para dormar um novo trecho. Adoro esse tema tempo. Ele nos acompanha sempre


Like
bottom of page