top of page

Graminho

Updated: May 16



A escola Duendes do Saber foi construída ao redor de uma castanheira com mais de 300 anos e o jardim que a cercava também foi mantido pelos arquitetos do projeto. Todas as salas de aulas tinham uma janela com vista para aquela imensa árvore centenária e era bem ali à sombra dela que estavam reunidos alguns alunos estudando para as provas da semana que estava apenas começando.


   -Temos que conseguir terminar de ler todo esse texto até amanhã, mas não anotei tudo...quem me empresta o caderno? – Disse Diego com olhos de cachorro pidão enquanto arrancava tufos da grama com as mãos.


   - Te empresto, mas não amassa as folhas do meu caderno, tá bom? Pode pegar aí na minha mochila. – Diana andava pela sombra do jardim arrancando flores selvagens e as colocando atrás da orelha para segurar o cabelo.


   - Seu caderno não está aqui!


   - Shhhh! – Outro aluno lendo sob a sombra pediu silêncio.


   Diana caminhou até Diego e passou por cima de um canteiro de margaridas esmagando algumas flores.


   - Tenho certeza que coloquei na mochila antes de vir para a escola, deixe-me ver. – E quando olhou dentro da mochila não encontrou seu caderno.


   - Psiiiu! – O barulho pareceu ter vindo do grande arbusto perto do pé de acerola.


      Diego e Diana olharam surpresos e viram a beirada do caderno que procuravam se esconder para dentro do mato. Curiosos adentraram a relva e encontraram ali um serzinho todo verde, de chapéu e mato nas vestes.


- Vamos fazer um trato! – Tinha uma voz aguda e um sorriso sapeca no rosto. – Te devolvo o caderno e te ensino a matéria bem rápido!


    - Quem é você?! – Diana tinha a mão sobre a boca.


   - O quê é você?! – Diego estava de queixo caído.


   - Meu nome é DuendeGraminho e meu dever é cuidar desse jardim! Sozinho! – Com a mão na cintura começou andar em círculos – E esse é o trato: Devolvo caderno, ajudo com a prova, mas parem de arrancar grama e flores! Já estou farto!


   As crianças se olharam e fizeram sim com a cabeça para aceitarem a proposta de Graminho.


- Usem suas palavras por favor. Se possível falem como um cantor.


Diana levantou a mão e se pôs a pensar, em como, ao pequeno duende, agradar. Cochichou no ouvido de Diego e se puseram a recitar.


- Aceitamos a ajuda para estudar, precisamos. Do jardim também vamos cuidar, aqui estamos. - Terminou ela com um sorriso, preciso.


- Estaremos juntos agora querido Graminho. Não vai mais estar sozinho, vou ser seu amiguinho. - Ele estendeu uma mão e pôs a outra no coração.


O duende ficou emocionado, com lágrimas nos olhos, era esse seu estado. Fez duas amizades e nem era parte do trato. Teria ajuda para cuidar do jardim, enfim. É claro, ajudaria com a prova pois estando ali escutava as lições de hora em hora.


Diana e Diego foram bem na primeira avaliação, não arrancaram mais grama nem flores, aprenderam a lição. Ensinaram aos outros alunos a cuidarem do jardim, todos que obedeciam o duende dizia: venham a mim. Graminho fez vários amigos e a semana de provas foi um sucesso! Ninguém ficou de recuperação e aprenderam que cuidar da natureza é o verdadeiro progresso.









Recent Posts

See All

2 Comments


Bob Wilson
Bob Wilson
Apr 24

Minha filha já tá me pendido para achar um Duende Graminho pra ela. Olha o que você fez Jean. 😂

Like
Replying to

Hehehe se achar me avisa também por favor! A faculdade tá apertando XD

Like
bottom of page