top of page

O Mundo Numa Rede


Uma pessoa sentada, tendo ao redor indícios de uma vasta rede de conexões
Estamos conectados numa malha sem esconderijos... (Imagem IA/DALL-E 3)

A população está envelhecendo, e a taxa de natalidade está diminuindo.  Por outro lado, a tecnologia está se expandindo por todas as áreas.

A faixa etária que hoje está parando de trabalhar é a que viu nascer a internet, mas está apanhando pra se encaixar nela. Se não se atualiza, passa a viver num mundo à parte, onde filhos e netos não têm paciência de ensinar, nem de responder.

Quem está na faixa 6.0.+ conheceu máquina de datilografia, telex, fax, telefone com fio e internet discada. Trabalhou muito para dar o melhor para a família, enfrentando posições não ergonômicas de trabalho, e desconfortos morais posteriormente diagnosticados como assédios.

O computador tinha telas escuras e letras verdes. Os poucos que podiam ter um em casa driblavam a reserva de mercado imposta pelo governo brasileiro — que protegia os equipamentos jurássicos, restando, a quem queria se atualizar, adquirir os mais modernos por baixo do pano.

Essa faixa sobreviveu a planos econômicos desastrosos, doenças desconhecidas e fatais. Desconfiou do futuro, amargurou o presente, sofreu com o passado. Como dizem os sábios, “fez das tripas coração”, para seguir adiante sustentando as crias.

Agora, é a faixa que está diante de um monstro eletrônico que rouba dados, pesca o dinheiro da aposentadoria e diminui a conversa face a face. Se não aprender, cairá numa rede de ostracismo.

Tudo hoje já é realizado através de um celular ou de um totem com informações digitáveis. Não dá para ignorar isso. Para continuar independente, não há como viver à parte de uma tecnologia que fica cada vez mais inteligente.

A tecnologia salva vidas. E pode atrapalhar a vida, se não for aprendida — para não cair em fraudes, para comprar comida sem sair de casa, para se comunicar nas redes com os netos e com o mundo. Para criar redes neurais, o saudável é exercitar o cérebro.


Resta encarar os novos tempos como oportunidade de continuar na escola da vida. Não dá para ficar apenas descansando numa rede, na varanda.


(Criado no Canva Create Studio)

 

Goretti Giaquinto

Desafio #115 de 365

Tema: Entrevista Futurística

1.      Entreviste uma pessoa (cite quem foi, no texto) sobre as suas visões e expectativas em relação ao futuro. A entrevista deve abordar temas como tecnologia, sociedade, meio ambiente, entre outros.

2.      Com base nas respostas da entrevista, crie um texto narrativo refletindo sobre o futuro, levando em consideração as opiniões e perspectivas da pessoa entrevistada.

3.      Texto de até 1000 caracteres, que deve conter uma reflexão sobre “Como a tecnologia pode ajudar ou atrapalhar nossas vidas no futuro?”

Recent Posts

See All

Comments


bottom of page