top of page

Sem Lenço, Sem Rosa, Com Documento


Uma boneca dirigindo um carro preto sem capô, com um pet no banco traseiro, e um mapa à frente, passando por uma praia, com um arco-íris no céu
O certo é entrar no carro da vida... (Imagem IA - DALL-E 3, ajustada no estúdio do WIX)

Mesmo romântica ao extremo

Bonequinha desejada e mimada

Com um namorado arrumado

Guardo uma mente empoderada

 

Desafios femininos são grandes

As mulheres foram endeusadas

Desde os tempos das pirâmides

Como rainhas do lar enquadradas

 

O rosa que é uma mera cor

Do vermelho e branco misturado

Representou não só o amor

Em símbolo de garotas foi transformado

 

Mas a feminilidade existe

Pode ser no rosa, no azul ou no amor

Em toda a plenitude

Com essa ou qualquer outra cor

 

Menina, meninos, outro padrões

O respeito deve existir sem distinção

A essência do que está por dentro

Deve prevalecer no coração

 

A feminilidade não traz o frágil

A força não está no gênero

Ter namorado não é privilégio

O rosa feminino virou efêmero

 

Nem sempre casamento é o sonho

Das meninas nem das bonecas

Que hoje não são mais brinquedos

E, sozinhas, se garantem por elas

 

O certo é entrar no carro da vida

Brincar, sorrir, amar e aprender

Amizades verdadeiras e foco

A lição tá aí para quem quer ver







 

Goretti Giaquinto

Desafio #102 de 365

Tema: Poema Cinematográfico

1. INSPIRADO EM UM FILME – Crie um poema inspirado em um filme de sua escolha, utilizando como tema central as transformações dos personagens.

2. ABUSANDO DAS METÁFORAS – É necessário incluir ao menos duas metáforas relacionadas à trama do filme escolhido.

3.MÍNIMO 8 ESTROFES – O poema pode ser em versos livres ou regulares, porém, precisa ter no mínimo 8 estrofes.

 

Recent Posts

See All

1 Comment


Barbie?

Like
bottom of page