top of page
AD.png

O Que Sabemos Sobre as Festas Juninas e Nossa Tradição


Oi, galera! Milly Alves pousando no planeta Terra para bater um papo super maneiro com vocês sobre as festas juninas. Essas festa que enche nossos corações de alegria, nostalgia e que nos aquece com seus questões e vinhos quentes neste inverno tropical. Bora mergulhar nessa história que é pura tradição e cultura brasileira!





São mais de 30 anos curtindo adoidada essa festa, amigues. Gosto muito das festas do nosso país e curto todas sem dó. Mas a maioria nunca soube como surgiu e como cá estou escrevendo para este site, achei que era uma boa pauta para trazer pra gente.


Dei uma pesquisada aqui na minha enciclopédia “Larousse” (kkkk, brincadeira, foi no google mesmo) e descobri que as festas juninas chegaram ao Brasil com os colonizadores portugueses, lá no século XVI. Elas têm suas raízes nas festas pagãs europeias que celebravam o solstício de verão, mas acabaram sendo cristianizadas pela Igreja Católica (sempre ela), que as associou a santos populares como São João, Santo Antônio e São Pedro. Daí que vem o nome "juninas", porque são santos que nasceram em junho e as festas rolam no mês de junho.


Mas, aqui no Brasil, essas festas ganharam um tempero todo especial. Com a mistura das culturas indígena, africana e europeia, surgiram tradições únicas que a gente celebra até hoje. E cá entre nós, quem nunca participou de uma quadrilha ou se deliciou com aquelas comidas típicas? É uma festa que a gente não vê a hora de chegar e carrega no coração.


Se bem que, quem nunca ficou traumatizado na escola por ser obrigada a dançar naquelas quadrilhas juninas que inventavam. Era muuuito chato, mas que saudades viu…




Para o povo do interior, as festas juninas são o evento do ano! E para o povo das capitais, é tempo de se vestir de caipira, dançar quadrilha, acender fogueira e se divertir. A festa é celebrada em todo o Brasil, de norte a sul, cada região com suas particularidades.


Essas festas representam um momento de união, celebração da colheita e agradecimento aos santos. Para muitos, é uma oportunidade de reviver as tradições e passar um tempo de qualidade com a família e amigos, tudo isso com muita música, dança e comida boa.


Qual é o gringo e a gringa que vem para o brasil e não fica maluquinho com essa festa? Lá fora, a galera vê as festas juninas como uma das festas mais autênticas e coloridas do Brasil, quase tanto quanto o Carnaval. É um evento que mostra a diversidade e a riqueza cultural do nosso país. Turistas que visitam o Brasil nessa época ficam encantados com as quadrilhas, a música, a culinária, as fogueiras, as bandeirinhas coloridas e, claro, a nossa hospitalidade.



E às delícias das festas juninas? Quem resiste? Fico com água na boca só de pensar na pamonha, curau, canjica, milho cozido, bolo de milho, quentão e vinho quente. E estas são só algumas das iguarias que fazem essa festa ser ainda mais especial. Essas comidas têm tudo a ver com a época de colheita do milho, que é um dos ingredientes principais da maioria dos pratos. Na real mesmo, amigues, saio destas festas empanturrada de tanto comer. O pensamento é sempre “Tenho que comer e beber tudo isso porque no resto do ano não tem (ou tenho preguiça de cozinhar). Quem não?


Além disso, as bebidas quentes, como quentão e vinho quente, ajudam a esquentar as noites frias de junho, especialmente nas regiões sul e sudeste do Brasil. Essas delícias são uma verdadeira viagem no tempo, resgatando receitas que vêm de gerações e que fazem parte da nossa história. E, pelo menos aqui em casa, já é tradição fazer aquele panelão destas bebidas. O cheiro rola pela casa, galera se reúne em volta do fogão ou da fogueira para ficar no calorzinho conversando, cantando e só sentindo o cheiro. Aliás, só sentindo o cheiro não, esperando ficar pronto para beber até a última gota.



São João é o grande homenageado das festas juninas. A noite de São João, dia 24 de junho, é a mais esperada e celebrada, com muita fogueira, quadrilha e fogos de artifício. Diz a lenda que ele nasceu em meio a muita festa e alegria, e por isso a tradição de festejar.



Santo Antônio, celebrado no dia 13 de junho, é conhecido como o santo casamenteiro. Durante as festas juninas, é comum ver simpatias e brincadeiras para conseguir um casamento ou arrumar um namorado. E olha, dizem que funciona mesmo! Eu tô bem longe de querer testar isso aí kkkkk.


Enfim, amades, as festas juninas são uma parte essencial da nossa identidade cultural. Elas trazem à tona o melhor do nosso passado, celebrando a colheita, a família e a fé. É uma festa que une gerações, traz alegria e reforça nossas raízes. Então, bora preparar o chapéu de palha, o vestido caipira e se jogar nessa tradição que é pura diversão e amor!


Dia 31/05, saiu nosso desafio literário “Cordel Junino”, e neste post você encontra o desafio e várias riquinhas para escrever um cordel lindo sobre essa tradição e pode até ler nas festas que você for. Escritora chic você hein benhê! Kkkk


De botina e pronta para a quadrilha

Milly Alves



2 comentários

Posts Relacionados

Ver tudo

2 commentaires


Testei simpatias por um bom tempo da minha vida, na minha terra hospitaleira que tem espírito junino, festivo, religioso e tudo o mais. Resultado? Não darei spoiler 😉😂😂😂

J'aime

Já fui dama do padre da quadrilha ( quadrilha de verdade tem que ter casamento caipira com noivos, padre , etc…), já me vesti de caipira para dançar com minha irmã ( por falta de parceiros na dança)…. Adorava dançar quadrilha e comer milho assado na fogueira… tempos bons aqueles…

J'aime
bottom of page