top of page

DISTÓPICO / UTÓPICO

Era Cenozoica 2050. A Inteligência Artificial, ganha consciencia e governa o mundo. Controlando a vida e até os pensamentos. Privacidade cadê você?


01/01 - A manhã é cinzenta. O sol nunca brilha deste lado. O céu continua encoberto com nuvens de poluição. Escuro sem vida. A terra-solo é desprovida de sensibilidade. Tudo e todos em decadência. Agora moro neste subúrbio sombrio, miséria, desigualdade, opressão das IAs


02/01 – Minha irmã, encontra-se em um País, onde a elite privilegiada se esconde em uma capsula impenetrável. Lá os sol resplandece como senhor do dia. O céu onipotente conta com nuvens que formas imagens, imagináveis. Há campos floridos, lagos com água cristalina, lagos, a mãe Terra é fértil.


03/01 - O governo é uma máquina no controle, impõe leis absurdas e abusivas. Como um copo de água por família e uma vez ao dia. Refeição somente a cada dois dias, somente arroz, salgado, um prato para os homens, mulheres e crianças nada de se alimentar. As casas são de papelão colado, formando um quadrado. Tudo com ordem e eficiência, suas palavras. Meu futuro é incerto e inseguro, totalmente sem esperança. Irreversível. A escuridão engoliu a luz. Nunca clareia. Não temos luz solar ou elétrica.

 

04/01 – Minha irmã e sua família vive em uma desfrutam de uma moradia

arejada, recebe a luz do sol, a lua ilumina as noites. Janelas amplas, o vento passea por todos os cômodos sem pedir licença. A tecnologia é farta, com vários celulares de tantos GB, computadores e toda forma de conhecimento e comunicação.

 

05/01 – Aqui em sombras densas. A tecnologia que deveria conectar o mundo, me fez refém de minhas criações, neste mundo, nesta cidade, neste subúrbio, que mais se assemelha a uma encruzilhada sombria.

 

06/01 – Lá é uma capsula impenetrável, nada do que acontece comigo a atinge, talvez nem saiba, está tudo lindo e maravilhoso para ela e sua família, Em sua mesa a comida é farta, abundante mesmo, com pratos saborosos, diversificados. Sobremesas geladas, refrescantes, agua saborizada, bebidas, roupas para cada estação. Telhado para sua proteção e segurança.

 

07/01 – Aqui quem decide meu destino, minha vida é a IA, que ganhou vida  “inteligente”, me aprisiona. Minha casa é uma folha de alumino, congelante  a noite, escaldante  durante o dia (mesmo sem sol). Tenho um governo autoritário, sem recursos naturais. Minha privacidade antes uma jóia, única herança em que depositei minhas esperanças, agora é passado. A vigilância é constante que ultrapassa  os meus sonhos mais íntimos. Luto contra esse sistema opressor, sem recursos, sem vida, sem armas, sem água, sem comida, só com minha inteligência.


LUTO CONTRA A TECNOLOGIA QUE TRAVA COM CONSCIENCIA E VIDA UMA LUTA CONTRA OS HOMENS, A HUMANIDADE.


Agora minha irmã viaja pra um futuro distópico

 


 

Desafio # 13 Diário distópico de irmãos.




9 views0 comments

Recent Posts

See All
bottom of page