top of page
AD.png

Cárcere



Abro a porta, devagar. Ela range baixinho. Um gemido diferente do costumeiro barulhão. Talvez, adivinhando o meu plano, aceitando ser a minha cúmplice. Peço desculpas por tê-la visto, tantas vezes, como inimiga. A minha carcereira…

     Escancaro a porta, sem dificuldade. Sinto emanar dela a força de quem, ao seu modo, vê o mundo sem ser notada por ele. Paro no caminho, entre o dentro e o fora. Tenho medo, embora algo em mim queira pressa. A claridade cega meus olhos, trava meus passos. Tanto tempo no escuro que já não sei mais lidar com a luz. 

     Hesito...

     Nada se mexe. Eu não me mexo. A decisão, presa no ar. 

     De repente, uma brisa suave movimenta a porta pesada. Ela bate levemente em minhas costas, como se  me empurrasse para a vida.

     Um passo à frente. Respiro fundo. É hora! 

    Ainda trêmula, ouço, de novo, o mesmo ranger atrás de mim, como um gemido. Mas, pela primeira vez, decifro a mensagem: "Vai!"

     E saio correndo.



 

Cátia Porto

Desafio #55 de 365

Tema: Um Tenso monólogo

Regras:

1 - Escreva um mónologo ficcional

2 - Este personagem está enfrentando uma difícil decisão

3 - Até 1000 caracteres


0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


bottom of page